Notícias

Catingueira realiza encontro intersetorial com grupo de gestantes sobre o Setembro Amarelo

Na manhã da última terça-feira, dia 10 de setembro, a Secretaria Municipal de Assistência Social, em parceria com a Secretaria de Saúde, realizou uma palestra com o grupo de gestantes sobre o “Setembro Amarelo”, campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio.

Durante este mês de setembro, várias ações em diferentes esferas sociais buscam promover a saúde mental na cidade.

A gestação NÃO protege a mulher de Doença Mental, como também atualmente  NÃO é mas considerado  fator de proteção para o Suicídio e Autoagressão. Tudo o que acontece na gestação tem influência e impactos até um dois anos após o pós-parto. Infelizmente, nas consultas de pré-natal e os profissionais não investiga a saúde mental da paciente. Pouco se fala sobre a importância da saúde mental Materna.

O transtorno mental mais frequente na gestação é a Depressão, uma e cada quatro mulheres apresenta sintomas depressivos e apenas uma em cada cinco gestantes deprimidas procura ajuda, de qualquer tipo que seja, provavelmente devido ao estigma associado à Depressão principalmente no ciclo grávido-puerperal.

São considerados Fatores de Risco ao Suicídio Materno:

História prévia de doença psiquiátrica;

Ideação suicida prévia e fatores;

Socioeconômicos, como: Falta de suporte familiar, ausência de parceiro, dificuldades financeiras;

Gestação não desejada e planeja, especialmente entre jovens;

História de violência doméstica e uso de álcool e drogas.

Umas das medidas de prevenção é  o rastreamento da Depressão, principalmente no primeiro trimestre  e no período pós-parto. O importante é não ter medo de tratar.

E em se tratando de prevenir alterações psíquicas, o não julgamento, autorizar os sentimentos, o apoio e envolvimento do parceiro e da família, e a permissão da gestante em reconhecer que pode não estar sentindo amor por esse filho, e que o Amor Materno é Construído e não inato, pode ajudar muito.

O acompanhamento psicológico  é muito indicada, pois falar sobre os seus sentimentos é algo que ajuda a desmistificar as crenças relacionada a maternidade e aprender lidar com as emoções.

Para quem não puder fazer um tratamento psicoterapêutico, existe o CVV 188 que faz um trabalho voluntário de ajuda.

 

FALAR SEMPRE SERÁ A MELHOR SOLUÇÃO. 🎗

« Voltar